terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Ressaca , aí Ressaca...ufa.



10 PERGUNTAS SOBRE RESSACA
Festas , alegrias comemoração e com isso vem a s bebidas, cerveja, vinho, Whisky ,sei lá mais o que...moderação? pra que as festas acabam eu posso aguentar...
e quem sabe esse artigo pode te ajudar agora que já entornou todas!!!

Uma dose a mais... e extrapolamos nossos limites. Veja como se combate uma ressaca e como se faz para evitá-la. 
Os sintomas são inconfundíveis: a cabeça pesa como se estivesse apertada por um daqueles círculos de ferro usados em torturas medievais. Dói especialmente na nuca, nas têmporas e na testa. A luz do dia fere nossos olhos e qualquer barulho retumba dentro do cérebro. Na boca, um gosto amargo. Não queremos fazer nada, apenas fechar os olhos, quietos, deixando o tempo passar. É a ressaca - um mal-estar generalizado provocado pelo excesso de bebida alcoólica. Ela não ocorre sempre nem com todo mundo. Para algumas pessoas é infalível, basta beber alguns drinques e esperar pelo dia seguinte. Outras são atacadas pela ressaca apenas de vez em quando. E há também os que, embora bebam com freqüência, passam incólumes por essa verdadeira expiação. 

1. O que é ressaca?
É um tipo de crise de abstinência. Como qualquer outra bebida ou alimento, o álcool é metabolizado e distribuído pela corrente sanguínea para todas as células do corpo. A sensação de embriaguez e relaxamento ocorre quando ele chega ao cérebro. É o momento da intoxicação. O corpo faz um grande esforço para dar conta das doses excessivas. Quem mais trabalha é o fígado, que precisa produzir enzimas para absorvê-lo, transformá-lo em gordura e secretá-lo pela bile. Quando o trabalho acaba, o fígado quer mais e entra numa espécie de depressão, desorganizando todo o metabolismo. O sistema nervoso, que também foi acelerado, tem uma reação parecida. O resultado é uma queda da força muscular, dor de cabeça, enjoo  diarreia  sensibilidade à luz e um cansaço enorme. 

2. Ardência no estômago é sintoma de ressaca?
Essas dores também estão associadas ao excesso de bebida, em especial os destilados, como cachaça, uísque, conhaque e vodca. O álcool em demasia agride as paredes do estômago e do esôfago. Dependendo da gravidade essas lesões precisam ser tratadas com medicamentos. 

3. A ressaca de algumas bebidas é maior do que a de outras?
Quanto maior o teor alcoólico, maior a probabilidade de intoxicação e ressaca. Além disso, as bebidas destiladas tendem a entrar mais rapidamente na corrente sanguínea do que as fermentadas. Portanto, são mais perigosas. 

4. O mal-estar depende da quantidade de bebida?
A ressaca sempre é provocada por uma grande quantidade de álcool, mas é o corpo que determina os limites. Para quem nunca bebe, o excesso pode ser apenas uma única dose. As pessoas habituadas a beber são mais resistentes. O fígado está treinado, ou seja, produz facilmente as enzimas necessárias. Mas, quando bebem além do que o corpo considera limite, não se livram da ressaca. 

5. É possível evitar a ressaca?
Respeite seus limites. Aumente a tolerância fazendo o álcool entrar mais lentamente na corrente sanguínea  A melhor forma de fazer isso é comer bem, antes e enquanto estiver bebendo. 

6. Algumas pessoas recomendam uma colher de azeite de oliva antes de começar a beber. Isso tem fundamento?
O azeite é um alimento e, portanto, ajuda a evitar a rápida entrada do álcool no sangue. Mas tomado puro pode provocar enjoo  O melhor é usá-lo como tempero de uma salada de batatas, carboidrato que ajuda a processar a bebida. 

7.Tomar água ajuda a combater os sintomas desagradáveis?
Quanto mais água, melhor. Antes, durante e depois de beber. A água dilui o álcool e reduz as chances de intoxicação. Facilita o trabalho do fígado e dos rins, que eliminam mais rapidamente os resíduos tóxicos do organismo. 

8. Um copo de cerveja pode rebater a ressaca?
Como ela é uma síndrome de abstinência de álcool, "aquela cervejinha para rebater" e outras receitas, como o blood mary (vodca com suco de tomate) ou o gim-tônica, podem ajudar o fígado a se recompor. É como recuperar um drogado ministrando doses cada vez menores da mesma droga. A cerveja ainda tem a vantagem de estimular o funcionamento dos rins, acelerando a expulsão dos resíduos tóxicos pela urina. Mas isso depende de reações individuais. Há quem não suporte o cheiro de álcool por algum tempo. 

9. Fumar piora a situação?
Sim. Álcool e fumo formam uma dobradinha imbatível. Mesmo quem fuma moderadamente aumenta a quantidade de cigarros quando está bebendo. E, quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue. Daí o processo de intoxicação pela bebida alcoólica é mais rápido. 

10. Qual a melhor forma de superar uma ressaca?
Em primeiro lugar, não se deve exigir demais do organismo, que já está estressado. Se possível, faça só o que o corpo pede. Fique em casa, no silêncio e no escuro, descansando. E tome muito líquido: água e sucos de frutas para repor as vitaminas e os sais minerais perdidos na batalha contra o álcool. Comida, só se sentir fome. A primeira refeição deve ser leve. Purê de batata, canja de galinha ou chazinho - boldo, de preferência - caem bem.

Fonte: http://saude.abril.com.br/especiais/fim_de_ano/conteudo_262063.shtml)


link com mais informação-

http://super.abril.com.br/ciencia/ficamos-ressaca-447154.shtml

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O que é Bruxismo???



Ranger de Dentes

Estudos mostram que cerca de 19% das crianças costumam  ranger os dentes, enquanto dormem. O nome para esse problema é Bruxismo e pode causar sérios problemas dentários nos pequenos. Quando prolongado, o bruxismo pode causar modificação na estrutura óssea da mandíbula, desgastar os dentes e pode, até, aumentar a pressão na cabeça da criança.

Muitas vezes, a atitude de ranger os dentes está relacionada a problemas emocionais, que as crianças enfrentam. Será uma maneira de extravasar o nervosismo, a irritabilidade e ansiedade da criança.

Há uma teoria, na psicologia, que explica a razão das crianças colocarem no ranger dos dentes a forma de exteriorizar o nervosismo. Essa teoria diz que é pela boca que a criança sente todo o mundo, nos seus primeiros anos de vida. Ela nasce sabendo sugar, e pela sucção consegue satisfazer todas as suas necessidades físicas e emocionais. Por isso, a mente pode entender, nessas crianças, que estimular a fricção dentária, pode ser um jeito de voltar a ter suas necessidades satisfeitas.

Bruxismo é uma desordem funcional que se caracteriza pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono. Essa pressão pode provocar desgaste e amolecimento dos dentes. Nos casos mais graves, podem ocorrer também problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula (ATM).
Possivelmente, a disfunção está ligada a fatores genéticos, a situações de estresse, tensão, ansiedade, ou a problemas físicos de oclusão ou fechamento inadequado da boca, por exemplo.
Não se sabe exatamente por quê, o bruxismo acomete 15% das crianças e afeta indistintamente homens e mulheres. A incidência tende a diminuir com o passar dos anos.
Quando o problema se manifesta durante o dia, recebe o nome especial de briquismo.
(Draúzio Varela)


O tratamento é multidisciplinar.

Dentista. Leve a criança a um dentista. Esse profissional fará uma placa de mordida, que será usada ao dormir, para impedir que o ranger dos dentes provoque danos durante a noite.
Psicólogo. Deve-se fazer um tratamento psicológico na criança. Se a causa é emocional, vai ser necessário que o pequeno aprenda a entender e enfrentar o problema. Somente agindo na causa pode-se acabar com o bruxismo.
Fonoaudiólogo. Para auxiliar no relaxamento muscular e na mobilidade da mandíbula.
Será necessário evitar gomas de mascar e alimentos muito duros. Eles acabam atrapalhando no tratamento, uma vez que cansam a musculatura.

O que o bruxismo pode causar?

Dores de cabeça;
Zumbidos no ouvido;
Dores musculares, bochechas doloridas;
Aumento da sensibilidade dos dentes;
Problemas na articulação da mandíbula.
Não confunda

Mastigação noturna não é o mesmo que bruxismo!

Todas as pessoas possuem o hábito de mastigar durante a noite, mas algumas vezes isso pode ocorrer devido a vermes intestinais. É importante diferenciarmos esses dois problemas, pois a forma de tratamento é bem diferente.

No caso dos vermes intestinais, pode ser necessário fazer um exame de fezes (coprocultura), para determinar qual o tipo de verme está presente no organismo da criança e então iniciar um tratamento adequado.




Links com mais informações