domingo, 25 de novembro de 2012

QUAL É O MELHOR - SAL MARINHO X SAL COMUM



Pessoal vi esse artigo na página do Facebook e acho que é de grande utilidade essa informação.







PRESTEM ATENÇÃO NISSO 



Ninguém imagina as grandes diferenças que existem entre ambos os sais. Um dá vida ... o outro mata.

Sal Marinho que alimenta...
“É o maior concentrado de minerais... naturais. É o maior alimento que a natureza criou, na exata medida requerida pelas células"....
E o outro, o Sal Comum... mata. (Lentamente, mas mata).

O mar move-se em ondas  há milhões de anos, desgastando todos os minerais e pedras que existem no planeta... e essas partículas estão suspensas na água do mar. O homem descobriu que, evaporando a água do mar, resta o SAL MARINHO.

Ao analisá-lo, verificamos que contém, quase que nas mesmas proporções do soro sanguíneo, todos os minerais que o organismo precisa. (Por isso se diz que viemos do mar)

Alguns minerais contidos no sal marinho: Enxofre, boro, bromo, césio, carbono, estrôncio, magnésio, potássio, sódio, alumínio, arsênico, bário, cobalto, flúor, fósforo, ferro, lítio, manganês, mercúrio, níquel, nitrogênio, ouro, prata, rádio, rubídio, selênio, silício, tório, urânio, vanádio, zinco, iodo...etc, etc.

Há, ainda, moléculas de todas as pedras do planeta, sejam de uma montanha ou do deserto. Tudo termina no mar, levado pelas chuvas.

Os músculos, ao desidratar-se, perdem grandes quantidades de água e sais minerais, criando um estado de cansaço e esgotamento físico, psíquico, emocional e mental.

Há maus funcionamentos internos, quando faltam os minerais perdidos. Devemos repô-los rapidamente, e, com o Sal Comum, nada chegará até às células: somente sódio puro.
O Sal Marinho repõe, em poucos instantes, as nossas perdas.

BENEFÍCIOS DO CONSUMO DIÁRIO DO SAL MARINHO:
1º Dá energia para os músculos.
2º Compensa os prejuízos da má alimentação.
3º Diminui a acidez gástrica.
4º Estimula a circulação sanguínea, respiratória, centros nervosos, os rins e as vias urinárias.
5º Elimina os ácidos tóxicos.
6º Em 3 semanas, há uma grande transmineralização e um enriquecimento extraordinário de cálcio, flúor, magnésio, etc.
7º O magnésio previne contra os transtornos do coração.
8º O flúor fortifica os ossos, os dentes, etc.
9º Tem grande efeito bactericida e antibiótico.
10º Produz um grande equilíbrio electrolítico.
11º Regula os excessos de sódio e potássio (baixa a pressão arterial, segundo estudos feitos em Espanha).
12º Evita os resfriados.
13º É anti-alérgico.
14º Estimula a cura das feridas. Alivia a Psoríase, os processos menstruais, o bocio.
15º Combate o colesterol, a senilidade, os cálculos biliares.
16º Os minerais participam da cura de todas as doenças físicas... TODAS.







Se consumindo Sal Marinho achamos "todos“ os minerais que o corpo necessita ... por que ninguém nos informa ?


domingo, 18 de novembro de 2012

ALHO A MARAVILHA DA COZINHA QUE CURA!!!






Allium sativum é a sua designação em Latim e referimo-nos ao alho comum.Regra geral quase todos nós utilizamos os dentes de alho na nossa alimentação como tempero, a verdade é que ele tem mais propriedades agradáveis além do paladar. Muito utilizado, desde a antiguidade, os estudos têm vindo a comprovar a sua real eficácia. Outrora as pessoas comiam ou engoliam dentes de alho, hoje já não é necessário – um dos benefícios da atualidade,   as cápsulas! – vieram evitar esse desconforto, mas sobretudo vieram aumentar a quantidade de óleo concentrado responsável pelos efeitos benéficos. O Alho tem várias aplicações… e não só para afastar vampiros e criaturas dessas, mas sobretudo outros ” monstros” mais reais! 
As bactérias, vermes, parasitas… 
Estes não atacam em noite de lua cheia mas também nos “sugam.
As aplicações do alho regra geral são as seguintes:Antibiótica, Anti-inflamatória,Anti-microbiana,Anti-asmática,Anti-oxidante,Anti-cancerígeno,Protetor cardiovascular.
As patologias ou sintomas a serem tratados pelo alho são muito vastos, mas pode-se resumir a sua eficiência em:Distúrbios gastrointestinais, colesterol elevado, tensão arterial elevada, asma, bronquite, gripe, dores de dentes e mais recentemente os estudos comprovam a sua eficácia em cancro da mama e próstata.O Alho deve ser consumido cru, pois após ser aquecido ou transformado, perde ou transforma as suas propriedades benéficas. No caso das cápsulas, estamos a falar de extratos prensados a frio, macerações ou ainda alho envelhecido, que tem vindo a ser provado a sua eficácia e a ultrapassar as outras apresentações devido ao aumento da concentração das substâncias ativas.A nossa recomendação vai para 500 a 1000mg de óleo Alho por dia, como efeito protetor ou 1 a 2 dentes crus e frescos por dia.O seu uso excessivo ou em dosagens elevadas pode causar má digestão e irritabilidade da mucosa gástrica. Deve ser evitado se estiver a tomar drogas sintéticas, pode haver o risco de potenciar algumas. Suspender nos casos: se já teve algum sintoma alérgico após a sua ingestão, em grávidas, lactentes e crianças até quatro anos e em pré e pós operatório pois tem efeito anti-plaquetário.

Irina Silva


Mais sobre alho:


Gastronomia

Na culinária pode ser utilizado de diversas formas, cru, refogado, picado, em rodelas, etc., conforme os gostos que são pouco unânimes. Em geral, os povos mediterrânicos são os maiores apreciadores, empregando-o, geralmente, em conjunto com o tomate e a cebola. Outros povos, menos adeptos do seu uso, chegaram a designar a planta como "rosa fétida", devido ao seu odor forte e picante proporcionado pela essência de alho ou dialil sulfito (C3H5)2S. Quando consumido em quantidades elevadas, esse odor pode tornar-se evidente no suor de quem o ingeriu. O hálito característico e geralmente considerado desagradável pode ser minimizado se for consumida também salsa fresca.

- O princípio ativo presente no alho que é responsável pela ação biológica na defesa do organismo chama-se alicina. O alho fresco fornece a aliina, um aminoácido sulfurado que se transforma em alicina, após a ação da aliinase (enzima). A melhor forma de consumir o alho para aproveitar suas propriedades é triturar, amassar ou picar o alho e deixar 10 minutos em repouso antes do preparo. Esse é o tempo para permitir a ação da aliinase,  processo que converte a aliina em alicina.
- O alho cozido não possui os mesmos efeitos do alho in natura. O aquecimento (processamento térmico) resulta na redução da ação da aliinase.  Assim, como os princípios ativos do alho são muito sensíveis ao calor, recomenda-se o consumo do alho na sua forma crua.

Sugestão: picado na salada, no molho da salada, ou em sanduíches. Uma forma de facilitar a assimilação dos princípios ativos do alho é dissolvê-lo em um pouco de óleo (ex: azeite de oliva)

História e Geografia do alho
O alho é nativo da Ásia central e espalhou-se primeiro pelo oriente médio. Foi uma das primeiras ervas cultivadas, porém seus primeiros registros de usos foram medicinais e mágicos (!!) – com exceção do antigo Egito, onde já era consumida em grande quantidade na culinária.
Quando os primeiros comerciantes ingleses levaram o alho para a América, ele ainda era tido como somente uma erva medicinal. 


Dicas sobre o uso do alho:

"Esmagar o dente de alho ao invés de picar pode liberar um gosto amargo não muito agradável. Dizem que  a pior coisa que você pode fazer com um dente de alho é passá-lo por um espremedor de alho. O risco é grande, você pode estragar completamente sua receita! Eu não sei se acredito, mas na dúvida, hoje em dia prefiro ter um pouquinho mais de trabalho e picar o alho fininho, na faca mesmo."

"Um jeito gostoso de comer alho é assar lentamente a cabeça inteira, com casca e tudo, só cortando as extremidades, com um fio de azeite. O alho vira uma pasta, muito saborosa e suave, que você pode espalhar no pão, misturar a sopas e ensopados ou fazer como sua imaginação mandar."

"Sabe aquele alho frito que encontramos em uitas saladas e que é uma delícia? Não compre pronto no supermercado, aquele alho é péssimo para sua saúde, normalmente frito em óleos totalmente oxidados, em temperaturas altíssimas, que mandam embora qualquer coisa boa no alimento. Compre alho fresco, fatie finamente e espalhe as lascas numa assadeira. Leve ao forno beeeeem baixo, porta entreaberta, por algumas horas (bem, muitas horas, cerca de 8 a 10 horas talvez). Fica muito melhor, muito mais saboroso e muito mais saudável! Você pode fazer uma quantidade maior e guardar o que não usar num pote muito bem fechado, na geladeira."


O que é o alho negro atualmente tão falado na gastronomia???

alho negro é o alho in natura que, após passar por um processo de fermentação e submetido a condições de temperatura contínua aproximada de 65°C e umidade controlada, ganha novas características de textura, sabor e odor, é o que explica o engenheiro agrônomo e produtor rural de Guatapará (SP), Fernando Kondo.


Ele não é tingido com shoyu, não está impróprio para o uso e nem se trata de uma espécie geneticamente modificada. O alho negro é um alho normal, que passou por um processo de fermentação e envelhecimento de cerca de 25 dias (tempo no qual os açúcares e aminoácidos se unem, produzindo uma substância chamada melanoidina, responsável pela coloração) e tornou-se macio, adocicado e escuro.
 Há muitas décadas o alho negro é consumido na Coréia, Tailândia e Japão por ser um alimento riquíssimo em antioxidantes, ajudar no combate ao colesterol e possuir propriedades anticancerígenas. Mas seu uso culinário é recente -- alguns afirmam que os japoneses foram os primeiros a utilizá-lo, em 2000 -- e popularizou-se rapidamente pelos EUA a partir de 2008, quando Scott Kim trouxe da Coréia um experiente produtor da iguaria. Com base nos ensinamentos do coreano, Kim criou e patenteou um tipo de estufa ideal para a produção e fundou a Black Garlic Inc. (www.blackgarlic.com), hoje a maior fabricante do produto no mundo. 
 Além de ser super saudável, ele tem sabor suave, com toques doces de tâmara e ameixa, fundo defumado e consistência deliciosamente pastosa. Tudo isso chamou a atenção de um dos papas da gastronomia mundial, o chef espanhol Ferran Adriá. Em 2007, durante uma viagem ao Japão, Adriá conheceu o alho negro, adorou, levou para seu restaurante, El Bulli, e começou a criar pratos. Um ano depois, a famosa casa novaiorquina Le Bernardin também inclui o alho negro em algumas de suas receitas. Foi, aliás, um prato de Peixe-Sapo com Alho Negro provado lá que fez o chef José Barattino, do Emiliano, interessar-se pelo ingrediente e tornar-se o primeiro cozinheiro no Brasil a fazer, em outubro de 2009, uma receita com o alho: bacalhau com lascas de alho negro. Na época, ele precisava importar da Black Garlic Inc., pois não havia nenhum produtor brasileiro. 

Fonte de Pesquisa:

http://pat.feldman.com.br/