sábado, 13 de maio de 2017

Pneumonia -Conheça um pouco mais.

PNEUMONIA





Respirar é essencial para a vida. 


O que é Pneumonia?

Pneumonia é uma infecção que se instala nos pulmões (órgão duplo localizado um de cada lado da caixa torácica). Pode acometer a região dos alvéolos pulmonares onde desembocam as ramificações terminais dos brônquios e, às vezes, os interstícios (espaço entre um alvéolo e outro).Basicamente, pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contato do ar com o sangue.
Daniel Deheinzelin– Basicamente, as pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou irritante no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa e que deve estar sempre muito limpo, sem nada que impeça o contato do ar com o sangue.
Só para ter uma ideia, se esticarmos o tecido dos dois pulmões de um adulto, o tamanho da superfície alveolar, que precisa estar o mais limpa possível, repito, equivale à área de uma quadra de tênis. A presença de uma substância estranha, de uma bactéria, um vírus ou um agente irritante, provoca uma reação inflamatória intensa – a pneumonia – que tem por objetivo expulsar o invasor.



Existem diversos tipos de pneumonia. Entre eles estão:
  • Pneumonia provocada por vírus
  • Pneumonia provocada por fungo
  •  Pneumonia provocada por bactérias
  •  Pneumonia química.

Fatores de risco

  • Fumo: provoca reação inflamatória que facilita a penetração de agentes infecciosos
  • Álcool: interfere no sistema imunológico e na capacidade de defesa do aparelho respiratório
  • Ar-condicionado: deixa o ar muito seco, facilitando a infecção por vírus e bactérias
  • Resfriados mal cuidados
  • Mudanças bruscas de temperatura.
A grande dificuldade da pneumonia é determinar o agente causador. Quando se faz o diagnóstico, que é clínico, na maior parte das vezes não importa fazer a diferenciação. Ela só interessa quando o paciente não responde ao tratamento com antibiótico de amplo espectro.

Dr. Daniel Deheinzelin é médico pneumologista. Livre-docente pela Faculdade de Medicina da USP, faz parte do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês (SP). 
Como é a febre das pessoas com pneumonia?
 A febre costuma ser alta, acima de 38º. Febre de 37,5º, aquela que precisa do termômetro para verificar se a pessoa está mesmo febril, não é o sintoma mais frequente das pneumonias.
 Quase todas as doenças respiratórias provocam tosse. Quando a pessoa deve desconfiar que ela é sintoma de pneumonia e não de uma infecção banal?
Além da tosse, é muito comum a pessoa (principalmente as de mais idade e as crianças pequenas) com pneumonia apresentar confusão mental, febre, alteração da pressão arterial, mal-estar generalizado, falta de ar e secreção purulenta. Na maioria dos casos, a degradação das células de defesa produz muco purulento de coloração esverdeado-amarelada que vai ser eliminado pela tosse.
Dor torácica é outro sintoma importante. O movimento de encher e esvaziar os pulmões, próprio da respiração, provoca dor porque eles estão inflamados. Toxemia intensa e um estado de prostração, de moleza, próprios dos quadros infecciosos também estão entre os sintomas das pneumonias.

É importante lembrar que essa doença pode ter evolução muito rápida. A pessoa está bem, mas, dali a algumas horas, a infecção se manifesta e é preciso procurar atendimento médico sem demora.
Drauzio – Às vezes, os leigos falam que a pessoa teve um início de pneumonia. Existe início de pneumonia?
Daniel Deheinzelin – Deve existir início, meio e fim, mas o diagnóstico de pneumonia não considera esses marcadores. Quando se detecta o processo infeccioso ou a radiografia revela uma infiltração pulmonar, a doença já está instalada.
É sempre bom ressaltar que alguns estudos feitos não só no Brasil, mas no mundo inteiro, mostram que não tem confirmação metade dos diagnósticos de pneumonia feitos nos prontos-socorros.
Drauzio – Como se explica esse falso diagnóstico?
Daniel Deheinzelin – As infecções de via aérea alta, isto é, as que não penetram pela traqueia, podem provocar febre e secreção de muco purulento. Muitas vezes, principalmente em situação de pronto-socorro, a radiografia não tem qualidade boa o bastante para caracterizar que os alvéolos estão comprometidos. Tudo isso somado pode induzir ao diagnóstico de início de pneumonia e à prescrição de um tratamento com antibióticos, o que pode não estar errado nessa situação clínica, apesar de a pneumonia não estar realmente instalada.
FATORES DE RISCO
Drauzio – Existe algum fator que facilite o aparecimento das pneumonias?
Daniel Deheizelin– Existem vários. O primeiro, o mais importante e o mais frequente, é o fumo. Todo tabagista corre risco maior de ter a doença, porque o fumo, por si só, causa uma reação inflamatória que facilita a entrada de outros agentes agressores nos pulmões. O segundo é o álcool. Pessoas que bebem têm a imunidade diminuída e uma diferente capacidade de coordenação do sistema respiratório.
Outro fator de risco a considerar é a existência de uma doença pulmonar prévia, por exemplo, a bronquite crônica, também presente nos fumantes. Por fim, embora menos comum, o comprometimento do sistema imunológico facilita o aparecimento de pneumonias.
Drauzio – Quem já não ouviu, muitas vezes na vida, as pessoas dizerem: “Cuidado, está frio. Coloque um agasalho para não pegar uma pneumonia” ou “Feche a janela. Essa corrente de ar é um veneno. Você acaba tendo uma pneumonia”. Existe algum fundamento para esses conceitos?
Daniel Deheinzelin – Quadros virais da via aérea superior, ou seja, os resfriados comuns, podem aumentar o risco de a pessoa ter pneumonia. Normalmente, esses quadros estão associados a mudanças bruscas de temperatura. Sair de um lugar muito quente e entrar num ambiente muito frio, ou praticar esporte e ficar com a roupa molhada num lugar frio podem ser fatores de risco para resfriados e pneumonias.
Outro dado importante para respaldar esses conselhos é que, nos meses de inverno, os casos da doença são mais frequentes. No Brasil, os números do Data-SUS são muito claros nesse aspecto.
Em última análise, portanto, tais conceitos têm algum sentido. Não é obrigatório, mas expor-se a mudanças bruscas de temperatura pode ter alguma relação com a doença.
Drauzio – O ar-condicionado funciona como fator de risco?
Daniel Deheinzelin – Certamente, funciona. O processo de refrigeração torna o ar muito seco e isso favorece a penetração dos germes na parte distal da árvore brônquica. Além disso, como o aparelho recicla o ar do ambiente, se alguém estiver eliminando vírus ou bactérias durante a respiração, mesmo que não tenha pneumonia, esses micro-organismos disseminam-se muito depressa e o ar-condicionado funciona como vetor de transmissão.
E mais: através da fala e da respiração, eliminamos partículas muito pequenas, de 2 a 5 micras, carregadas das substâncias existentes nos alvéolos.
Essas partículas ficam em suspensão, flutuando no ar. São tão pequenas que não se depositam por gravidade e o ar-condicionado encarrega-se de espalhá-las por todo o ambiente e elas funcionam como veículo de transmissão.

Drauzio – Que precauções deve tomar quem trabalha em ambiente com ar-condicionado sempre funcionando?
Daniel Deheinzelin– Deve beber muita água. Aliás, o melhor remédio para o pulmão é beber pelo menos dois litros de água por dia. Como o muco é um mecanismo de defesa do pulmão e seu principal hidratante, beber água facilita a eliminação de qualquer elemento estranho que penetre nos pulmões.
DIAGNÓSTICO
Drauzio – Febre alta, fraqueza, um pouco de toxemia, dor no peito, tosse com secreção purulenta, esverdeada ou amarelada, são sintomas suficientes para o diagnóstico de pneumonia?
Daniel Deheinzelin– Não são. É preciso caracterizar se a infecção está localizada nos pulmões. O primeiro passo para estabelecer o diagnóstico é o exame clínico do paciente. Com frequência, auscultando os pulmões, ouve-se um som característico provocado pela secreção no alvéolo. Esse som conhecido por estertor crepitante é sinal de lesão focal nesses órgãos. Ele é provocado pela entrada de ar no alvéolo que contém secreção e tende a colabar quando fecha.
Como produz um chiado semelhante ao do velcro ao ser aberto, por analogia, também é chamado de estertor em velcro.
Nessas circunstâncias, é fundamental fazer uma radiografia para confirmar a inflamação nos alvéolos e verificar se há outros fatores de risco associados, tais como o acúmulo de líquido no espaço compreendido entre os pulmões e a caixa torácica resultante da reação inflamatória ou a cavitação, ou seja, a presença de uma cavidade provocada pela reabsorção do parênquima pulmonar. Esses achados radiológicos conferem maior ou menor gravidade à pneumonia e são fundamentais não só para o diagnóstico, mas para determinar o prognóstico.
CONTÁGIO E EVOLUÇÃO
Drauzio – Pneumonia é uma doença contagiosa?
Daniel Deheinzelin– Diferentes do vírus da gripe, que é altamente infectante, as bactérias que causam pneumonia estão presentes no ar e não são transmitidas com facilidade. Portanto, não é necessário isolar o paciente.
Drauzio – Como evolui a pneumonia se convenientemente tratada?
Daniel Deheizelin– Desde que o antibiótico esteja correto, o quadro de febre e de toxemia melhora em três ou quatro dias e os sintomas desaparecem entre sete e dez dias a contar do início do tratamento, embora a radiografia possa mostrar o infiltrado até um mês depois de o paciente estar curado. Por isso, é importante dizer que o critério para declarar a cura é primeiro clínico e depois radiológico.

GRAVIDADE DA DOENÇA
Drauzio – A grande maioria das pneumonias podem ser tratadas ambulatorialmente. Em que casos, o paciente deve ser internado num hospital?
Daniel Deheinzelin– Existem alguns marcadores da gravidade da doença, que compõem escores e representam dados objetivos para avaliação do paciente. A internação hospitalar é necessária quando a pessoa é idosa, tem febre alta ou apresenta alterações clínicas decorrentes da própria pneumonia, tais como: comprometimento da função dos rins e da pressão arterial, dificuldade respiratória caracterizada pela baixa oxigenação do sangue, porque o alvéolo está cheio de secreção e não funciona para a troca de gases.
E não é só: baixa saturação arterial de oxigênio leva ao aumento da frequência respiratória, o que provoca queda de pressão e alteração do nível de consciência.
Drauzio – A pneumonia das pessoas mais velhas é sempre mais grave?
Daniel Deheinzelin – É mais grave porque, geralmente, está associada às complicações que citei. Muitas vezes, as pessoas são internadas porque o quadro requer aplicação de antibiótico por via endovenosa, durante 48 ou 72 horas, uma vez que a absorção por boca pode estar comprometida. Não é incomum pacientes com pneumonia adquirida na comunidade (que é diferente da pneumonia hospitalar) serem transferidos para UTI para receberem cuidados especiais.



terça-feira, 25 de abril de 2017

Saiba mais - Quimioterapia é também um caminho no tratamento




A quimioterapia é o método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.


Quimioterapia Vermelha e Branca o que é isso???

A "quimioterapia vermelha" é um termo utilizado por pacientes, enfermeiros e entendido pelos médicos em referência a quimioterápicos da classe das antraciclinas, cujos principais medicamentos são a Doxorrubicina e Epirrubicina. O tratamento leva esse nome pois os medicamentos ganham coloração avermelhada após sua diluição e devido aos seus efeitos colaterais frequentes e temidos, principalmente a queda de cabelo.


Além da "quimioterapia vermelha" existe a "quimioterapia branca", que designa praticamente todos os demais medicamentos - dos quais os taxanos e a ciclofosfamida são os mais usados. Os principais efeitos colaterais dos taxanos são: reações alérgicas, alterações nas unhas, dores musculares, formigamento de mãos e pés, diminuição das células do sangue e queda de cabelo.
Os medicamentos da classe dos antraciclicos (quimioterapia vermelha) estão indicados para diferentes tipos de tumores como: câncer de mama, câncer de estomago, câncer de bexiga, câncer de ovário, sarcomas, carcinoma tímico, leucemias e linfomas.

Os antraciclicos são contra indicados em pacientes com doenças cardíacas graves como insuficiência cardíaca grave, infarto agudo do miocárdio recente e arritmias graves ou insuficiência hepática grave.
Os principais efeitos colaterais da quimioterapia vermelha são: Alopecia (queda de pelos e cabelos), náuseas e vômitos, aftas e inflamação na região da boca, diminuição das células do sangue: anemia, queda no numero de glóbulos brancos e de plaquetas e mais raramente insuficiência cardíaca.

Dicas para lidar melhor com a queda dos cabelos:
Essa parte mexe muito com todos os pacientes não sei se pela vaidade da imagem que vai ser mudada ou pelo processo que de alguma maneira confirma a doença e sua gravidade(acho que é mais isso)

Se puder aspe o cabelo antes dele começar a cair (é uma sensação muito ruim ver seus cabelos todos os dias aos montes no seu travesseiro)
Se tiver um cabelo grande ou muito aproveite e doe o seu cabelo para fazer  perucas para alguém que precise (ou para você mesmo)
Pode também só fazer um  corte  de cabelo curto
Se puder compre uma (ou mais) peruca.
Use lenços…de várias cores, formatos e feitios,chapéus…seja criativo ou fique sem cabelos mesmo.
Não esqueça de usar  protetor solar na cabeça.
Quando o cabelo voltar a crescer não pinte ele sem a autorizaçao do seu médico(eu fiz isso ,dei muita sorte de não ter tido nada,mas o meu médico quase me matou quando viu,eu não sabia...e tava doida para voltar a ter uma aparencia saudável...)

ALIMENTAÇÃO-CHAVE NO TRATAMENTO.


Tentar sempre se alimentar,o apetite some,mas mesmo assim é preciso se alimentar,não pode esquecer que as plaquetas vão cair e é preciso fazer o sistema imunológico ficar equilibrado para fazer a quimio novamente.

Não consumir comida gordurosa, salgada, picante, frituras e doces;
Fuja da cozinha. Deixe que outras pessoas  cozinhem para você;
Beba pequenos goles de água gelada durante o dia 2 a 3 litros(importante demais);
Coma  refeições fracionadas 5 a 6 por dia mas não deixe de se nutrir.
Não force muito alimentos que não “estão descendo” pois pode enjoar deles durante uns meses (eu,comia muito carboidratos eles desciam bem,evitei maçã toda vez enjoava)
Acupuntura.meditação e mutas terapias alternativas ajudam bastante como quem tem fé também em orações,cirurgias espirituais...penso que tudo vale ,mas não abandone o tratamento acadêmico
Beba um chá que acalme você antes  de dormir.
Picolés de frutas ajudam muito, tal como, gelatina;
A banana é maravilhosa
Coma que a cura fica mais fácil...confie.
Faça exercícios leves como Ioga.alongamentos
Escolha comidas mais ricas em calorias e proteínas;
Use sempre temperos suaves
Continue bebendo muitos líquido,chás ,sucos,sopas...

Constipação ou diarreia 

Quase todo mundo tem esse efeito colateral.(cuidado ao sair de casa)

Pele ressecada e unhas quebrando.

Devido à redução de plaquetas, no sangue, existe um risco de sangramento ou hematomas por causa de pequenos cortes ou pancadas. Neste caso é necessário ter cuidados. Evitar cortes  todo o custo. Cuidado com facas, tesouras, a assoar o nariz, a escovar os dentes, não pratique esportes de risco, etc.

Infecções O termômetro era meu fiel companheiro. Se tiver a temperatura acima de 37.8ºC tem que ir para o hospital. Não tive esse problema. Mas,são inúmeros os tipos de infecções que podemos ter. Entre eles estão, infecções urinárias, rachaduras na pele, dores de cabeça, sangue na urina e/ou nas fezes, tosse com sangue, etc. Cada uma tem que ser tratada de uma forma.


Nervos –  Os  quimioterápicos podem causar Neuropatia Periférica.  E o que é que é isto?! As  mãos e os  pés ficaram dormentes, com sensação de formigamento constante. Não é o pior sintoma mas não é nada agradável.  Este efeito colateral, se for mais intenso, pode causar problemas de movimento, tais como dor ao andar, queda, perda do equilíbrio, dores musculares e nas pernas  (estes 2 foram bem fortes), pode causar também dificuldade em pegar coisas, dificuldade em ouvir, dores de estômago, etc.(eu não tive quase sintomas desse tipo)

Dores no corpo – são dores como as da sensação de gripe e para ajudar a passar, o médico prescreve o analgésico mais adequado. E o corpo dói!! Mas nada que uma guerreira não aguente.

Outra observação,quando tiver feito quimioterapia evite ficar no sol também dá depois uma sensação de febre horrível eu tive esse sintoma,quase fui para o hospital  ,mas media a temperatura e ela não estava alterada.

Enfim é uma batalha ,mas arranje aliados,boas pessoas do seu lado,bons livros,bons filmes,um trabalho de interiorização total,entenda e compreenda porque está doente,entenda o tipo de doença que está o que ele causa no organismo,o que acontece com seu corpo,firme seu pensamento na cura.
eu me curei tem mais de 12 anos...






terça-feira, 18 de abril de 2017

Estresse: Também é um mal silencioso











O estresse é composto de um conjunto de reações fisiológicas que, se exageradas em intensidade e duração, podem levar a um desequilíbrio no organismo. 
Ele está associado ao desenvolvimento de uma série de doenças, tais como, hipertensão doenças cardíacas, depressão, diabetes, asma, psoríase, obesidade, entre outras. 
Além dessas doenças, reações físicas e/ou psicológicas podem surgir, como: ansiedade, tensão, angústia, insônia, taquicardia, náusea, tontura, gastrite. 
Assim, ele prejudica a qualidade de vida e ainda enfraquece o sistema imunológico. 
O estresse excessivo tem como características, cansaço exagerado, problemas de memória, dificuldades de dormir, hipersensibilidade, irritabilidade, perda do interesse sexual, além de depressão e transtornos de ansiedade. 
O tratamento envolve quatro áreas: atividade física, técnicas de relaxamento e respiração profunda, orientação em relação à alimentação e abordagens psicológicas para aprender a lidar com o estresse. Tenha mais qualidade de vida sem estresse seguindo algumas dicas: 
Identifique as suas fontes de stress; 
Aprenda a lidar com o que você não pode mudar em sua vida; 
Tenha hobbies e prazeres diversos; 
Compreenda seus limites; 
Cultive boas relações com amigos e familiares; 
Relaxe e desligue dos problemas alguns minutos todos os dias; 
Faça exercícios físicos regularmente; 
Tenha uma alimentação saudável; 
Aprenda a respirar profundamente nos momentos de ansiedade; 
Tenha equilíbrio entre pessoal e profissional.





É verdade tem o estresse silencioso. 
Muitas vezes nos enganamos dizendo que não nos estressamos, porque não ocorreu nenhuma reação assim visível, audível e palpável! Mas sabe, vem aquela dor de cabeça que não cede, aquele mal estar no estomago, aquele sentimento de angustia ou aperto no coração. São efeitos do estresse silencioso, observe-se.
O que podemos fazer? Neste momento é importante parar, não deixar que a emoção tome conta e atrapalhe sua clareza, visão e equilíbrio. Segue algumas sugestões:
– Admitir a existência do estresse ou da emoção que o causou. Não resolve se auto enganar dizendo que está tudo bem, quando não está.
– Uma fala comum é dizer que “não tenho tempo para parar e pensar”. Quanto tempo leva uma vida? Quanto tempo leva uma vida com qualidade? Se pararmos 1 minuto, talvez 5 vezes por dia, daria um total de 5 minutos. Qual o impacto destes 5 minutos por dia no total de minutos de um dia de sua vida?
– Sentiu o estresse claramente ou algum sintoma, pare, coloque o foco de sua atenção na respiração. Respire com ritmo, ou seja, mesmo tempo na inspiração e expiração. Desloque sua atenção para o coração, respire assim através dele. Lembre-se de um momento agradável em seu dia, sua semana ou algum período.
– Não ser imediatista. Levamos anos e anos construindo padrões, atitudes e estresse em nossa vida. Se sua vida não mudar, no instante seguinte a você parar, está tudo bem. Seja paciente com a pessoa mais importante em sua vida: você.
– Esta simples pratica, vai recarregar as baterias energéticas. Cada vez mais haverá energia emocional para lidar com os desafios do dia a dia. Não se deixe arrastar na onda de estresse e negatividade. Permita que seu coração assuma o controle. Ele se alinha à mente, e as soluções aparecerão.
Veja esse vídeo ...muito boas dicas.









Fonte de Pesquisa:Material desenvolvido pela Assessoria de Qualidade de Vida do Servidor Municipal em parceria com a palestrante Claudia Schroder Lopes.  PDF

Site:Inteligencia Integrativa
Canal do yutube-Arata Academy

sábado, 11 de março de 2017

Aminoácidos - Ácido Glutâmico



As proteínas são indispensáveis, e simplesmente não podemos viver sem elas
É necessário consumir proteína sempre para manter não só os músculos como a pele, tendões, ossos e uma  outros tecidos que dependem de aminoácidos para formarem suas estruturas.
E dentre os 22 aminoácidos de que necessitamos para nossas funções metabólicas.

Entre esses  temos o ácido glutâmico, um nutriente que tem atuação importante na formação de massa muscular, no funcionamento cerebral e serve até mesmo para desintoxicar o organismo.



As proteínas são formadas por aminoácidos. Quando eles  são fabricados pelo próprio corpo, essas pequenas unidades são conhecidas como aminoácidos não-essenciais. E são importantes importantes, apenas que não precisam ser obtidos através da alimentação.
Já os aminoácidos que não somos capazes de sintetizar e devem chegar até nós através da alimentação são conhecidos como essenciais. Ou seja, teremos sérios problemas se não os consumirmos regularmente em nossa dieta.(fique clara essa informação)

O ácido glutâmico é classificado como um aminoácido não-essencial. Ou seja, embora seja encontrado em uma série de alimentos, é também produzido em quantidade suficiente pelo nosso cérebro.

Nosso corpo contém aproximadamente 2 kg de ácido glutâmico, que pode ser encontrado em quase todas nossas proteínas e tecidos. E, além de fazer parte das proteínas, o ácido glutâmico também é essencial para a transmissão de impulsos nervosos (ou seja, ele atua como um neurotransmissor).
Sendo parte integrante de proteínas de origem vegetal e animal, o ácido glutâmico pode ser encontrado em quase todos os alimentos naturais, mas em maior concentração nos peixes, nas carnes vermelhas, leguminosas, laticínios e ovos.


Para Que Serve

Diariamente, cerca de 80 gramas de ácido glutâmico são liberadas dos músculos para a circulação sanguínea a fim de atender nossas necessidades metabólicas. 
Entre elas:
  • Síntese de novas proteínas.
  • Metabolização de carboidratos e gorduras para produção de energia;
  • Produção de glutamina
  • Fornecimento de energia para o cérebro (o que por sua vez melhora a clareza mental e a memória);
  • Desintoxicação: o aminoácido tem função desintoxicante (através da produção de glutamina e também da ;
  • Eliminar o excesso de amônia da circulação;
  • Funcionamento adequado da próstata;
  • Melhora da função cardíaca.
O ácido glutâmico também tem sido utilizado no tratamento da distrofia muscular, epilepsia, esquizofrenia, Parkinson e de transtornos de humor.

Acido Glutâmico é um  aminoácido amplamente divulgado no meio fitness, a glutamina traz muitos benefícios aos praticantes de atividade física:
  • Estímulo à síntese proteica;
  • Proteção ao sistema imunológico;
  • Aumento da síntese de glicogênio;
  • Previne o catabolismo;
  • Eleva os níveis de hormônio do crescimento.
Como o estresse gerado por exercícios físicos intensos ou grande esforço mental tende a aumentar a demanda por glutamina, consumir alimentos ricos em ácido glutâmico pode ser uma maneira de, indiretamente, elevar a produção de glutamina.

Alimentos Ricos em Ácido Glutâmico~


Caldo de galinha caseiro: Ao contrário da versão industrializada, o caldo de frango preparado em casa é altamente nutritivo e não contém conservantes. Além disso, o alimento é uma excelente fonte de ácido glutâmico: uma única xícara contém cerca de 2.150 mg do aminoácido
Proteína Isolada de Soja;leite,peixes,gelatinas,iogurtes,queijos,amêndoas torradas,frango,semente de girassol,ovos,feijão e carne vermelha. 


Fontes de Pesquisa:
Google Pesquisas
Mundo Boa Forma
Portal R7

quinta-feira, 9 de março de 2017

ÍNDICE GLICÊMICO









Os carboidratos que ingerimos entram na corrente sanguínea com velocidades diferentes, e  quanto mais rápido o seu ingresso maior será o nível de glicose no sangue. Consequentemente maior o nível de insulina liberado pelo pâncreas, já que nosso corpo tenta equilibrar os níveis de açúcar.
O índice glicêmico (IG)  é um indicador que diferencia os carboidratos de acordo com o nível de açúcar liberado no sangue quando este é ingerido, em relação a um alimento referência (glicose ou pão branco). Estudos sugerem que o índice glicêmico tem grande influência na regulação do peso corporal, mas ainda não foi possível chegar a uma conclusão real sobre o papel definitivo do IG nesse sentido. Pessoas com diabetes devem evitar alimentos com elevado índice glicêmico como: melancia, pão de queijo, suco de laranja, caqui e açaí, pois eles fazem a glicose atingir a corrente sanguínea mais rapidamente.  O índice glicêmico depende de alguns fatores como:
1.    O tipo de açúcar contido no alimento (glicose, frutose, etc.)
2.    A forma do carboidrato (grau de hidratação e tamanho da partícula)
3.    Os acompanhamentos dos carboidratos na refeição (lipídeos e proteínas) 
                         
                            
Alimentos que liberam muita glicose no sangue rapidamente quando são ingeridos são os que possuem um alto IG. Aqueles que são digeridos lentamente e liberam a glicose gradualmente são alimentos com baixo IG, estes devem ter preferencia na hora da dieta, já que nos mantém satisfeitos por mais tempo e ajudam na luta contra a obesidade.  O consumo exagerado de alimentos com alto índice glicêmico, em longo prazo, pode levar o individuo a uma pré-diabetes ou diabetes tipo 2, já que tais alimentos sobrecarregam o pâncreas com a alta quantidade de insulina liberada no sangue. Pode causar também doenças cardiovasculares.

Alguns autores mostram que o consumo de alimentos de baixo IG diminui a secreção de hormônios como o glucagon e o hormônio do crescimento, estimulando a síntese de proteínas,  e como consequência a diminuição significativa do teor de massa gorda junto com o aumento do teor de massa magra.
Estudos recentes mostram que glicose e insulina em excesso podem estar relacionadas com alguns tipos de câncer, pois como a insulina, o açúcar também estimula a produção do fator de crescimento de insulina IGF-1, que promove junto com a insulina o crescimento de células e aumento da taxa de morte celular.
São inúmeros os benefícios de uma dieta de baixo índice glicêmico, dentre eles a menor elevação pós-prandial da glicemia, a redução da síntese hepática do colesterol e a diminuição dos níveis de ácido úrico. Sendo então essa dieta com um nível moderado de índice glicêmico, a ideal para uma vida mais saudável.

                     



Fontes de Pesquisas:
Universidade de São Paulo- USP


domingo, 5 de março de 2017

Cuidado com Anafilaxia por Medicamentos e outras Substancia... Alergias.











Alguns  alimentos, medicamentos, picadas de insetos, e muitas outras substancias podem desencadear reações alérgica graves, como anafilaxia. 
Anafilaxia é a reação alérgica que tem alto  risco de vida,porque  envolve sistemas de todo o corpo. A anafilaxia é um perigo que exige urgencia no atendimento médico ela é uma reação que  requer tratamento médico imediato e cuidados de acompanhamento por um alergista/imunologista.
Mortes ocorreram por causa de atrasos no reconhecimento e resposta aos sintomas com tratamento imediato e outras intervenções médicas. 

Outras causas incluem: medicamentos (tais como a penicilina, a aspirina, e relaxantes musculares), exercício, temperaturas extremas, certos procedimentos médicos, e psicológicos, bem como outras causas desconhecidas. 

Sintomas

Há pessoas em que  os sintomas de anafilaxia podem aparecer num só sistema do corpo, tais como a pele ou os pulmões, enquanto que em outros aparecem em vários sistemas do corpo. Os sintomas variam as vezes  leve e outras vezes com  risco de vida, esse risco de vida pode acontecer depende da sensibilidade do indivíduo e da quantidade de exposição ao alérgeno. 

Os sintomas aparecem geralmente nos  primeiros 20 minutos de exposição ao alérgeno.
Mas atenção pois os sintomas podem desaparecer  e em seguida retornam depois de algumas  horas. Alimento é o que mais causa casos de anafilaxia em crianças. As crianças que tem  asma e alguma alergias alimentar são as que correm maior maior risco de anafilaxia e podem  reagir mais rapidamente, exigindo tratamento agressivo e rápido.
Sinais e sintomas de reações prejudiciais podem incluir um ou vários dos seguintes sintomas, e podem necessitar de tratamento de emergência imediato: 


PELE
• Urticária, erupções cutâneas, ou rubor;
• Comichão / formigamento / inchaço dos lábios, boca, língua, garganta;
• Congestão nasal ou comichão, corrimento nasal, espirros;
• Coceira, olhos inchados, lacrimejantes.

SISTEMA RESPIRATÓRIO
• Aperto no peito, falta de ar, pieira ou assobio;
• A rouquidão ou engasgo gastro-intestinal;
• Náuseas, vómitos, vômitos secos;
• Cólicas abdominais ou diarreia.

PROBLEMA CARDIOVASCULAR
• Tonturas, desmaios, perda de consciência;
• Pele corada ou pálida;
• A cianose (círculo azulado ao redor dos lábios e da boca).

MENTAL / PSICOLÓGICO 
• Mudanças no nível de consciência;
• A sensação de desgraça iminente, choro, ansiedade;
• Negação de sintomas ou gravidade.

Os sintomas mais sutis de uma reação grave podem incluir: 
• Gritos e choro;
• As crianças muito jovens vão colocar as mãos em sua boca ou puxar suas línguas.

Por vezes as pessoas afetadas por anafilaxia vão dizer:
• Este alimento é muito picante. Ele queima a boca ou lábios.
• Há algo preso na minha garganta.
• A minha língua e garganta parecem espessas. 
• Parece que algo está cutucando minha língua.
• Minha língua [ou boca] está formigando [ou queima].
• Minha língua [ou boca] coça.
• Parece que tenho cabelo na língua.
• Há um sapo na minha garganta.
• A minha língua sente-se completa (ou pesada).
• Sinto meus lábios apertados.
• Parece que há algo de errado nos meus ouvidos..
• Parece que tive uma colisão na parte de trás da minha língua (garganta).

ATENÇÃO

Anafilaxia Induzida pelo Exercício Deve-se dar uma especial atenção a esta que é uma das mais sérias respostas alérgicas ao exercício, embora seja evento raro. Manifesta-se por coceira generalizada, manchas vermelhas na pele, angioedema (inchaço na camada mais profunda da pele, especialmente nos lábios, mãos, pés, olhos ou região genital), sensação de calor generalizado, sintomas gastrointestinais, sensação de falta de ar e chiado devido a obstrução de vias aéreas, e alterações vasculares, podendo chegar ao choque anafilático. O quadro clínico surge entre dois e 30 minutos após a realização de exercícios vigorosos, permanecendo por até três horas. A incidência é maior em adultos jovens, embora já tenha sido diagnosticada em indivíduos com 60 anos de idade

Fontes de Pesquisas
Google Pesquisas
Blog Alergias Tipoanafilaxia