sábado, 11 de março de 2017

Aminoácidos - Ácido Glutâmico



As proteínas são indispensáveis, e simplesmente não podemos viver sem elas
É necessário consumir proteína sempre para manter não só os músculos como a pele, tendões, ossos e uma  outros tecidos que dependem de aminoácidos para formarem suas estruturas.
E dentre os 22 aminoácidos de que necessitamos para nossas funções metabólicas.

Entre esses  temos o ácido glutâmico, um nutriente que tem atuação importante na formação de massa muscular, no funcionamento cerebral e serve até mesmo para desintoxicar o organismo.



As proteínas são formadas por aminoácidos. Quando eles  são fabricados pelo próprio corpo, essas pequenas unidades são conhecidas como aminoácidos não-essenciais. E são importantes importantes, apenas que não precisam ser obtidos através da alimentação.
Já os aminoácidos que não somos capazes de sintetizar e devem chegar até nós através da alimentação são conhecidos como essenciais. Ou seja, teremos sérios problemas se não os consumirmos regularmente em nossa dieta.(fique clara essa informação)

O ácido glutâmico é classificado como um aminoácido não-essencial. Ou seja, embora seja encontrado em uma série de alimentos, é também produzido em quantidade suficiente pelo nosso cérebro.

Nosso corpo contém aproximadamente 2 kg de ácido glutâmico, que pode ser encontrado em quase todas nossas proteínas e tecidos. E, além de fazer parte das proteínas, o ácido glutâmico também é essencial para a transmissão de impulsos nervosos (ou seja, ele atua como um neurotransmissor).
Sendo parte integrante de proteínas de origem vegetal e animal, o ácido glutâmico pode ser encontrado em quase todos os alimentos naturais, mas em maior concentração nos peixes, nas carnes vermelhas, leguminosas, laticínios e ovos.


Para Que Serve

Diariamente, cerca de 80 gramas de ácido glutâmico são liberadas dos músculos para a circulação sanguínea a fim de atender nossas necessidades metabólicas. 
Entre elas:
  • Síntese de novas proteínas.
  • Metabolização de carboidratos e gorduras para produção de energia;
  • Produção de glutamina
  • Fornecimento de energia para o cérebro (o que por sua vez melhora a clareza mental e a memória);
  • Desintoxicação: o aminoácido tem função desintoxicante (através da produção de glutamina e também da ;
  • Eliminar o excesso de amônia da circulação;
  • Funcionamento adequado da próstata;
  • Melhora da função cardíaca.
O ácido glutâmico também tem sido utilizado no tratamento da distrofia muscular, epilepsia, esquizofrenia, Parkinson e de transtornos de humor.

Acido Glutâmico é um  aminoácido amplamente divulgado no meio fitness, a glutamina traz muitos benefícios aos praticantes de atividade física:
  • Estímulo à síntese proteica;
  • Proteção ao sistema imunológico;
  • Aumento da síntese de glicogênio;
  • Previne o catabolismo;
  • Eleva os níveis de hormônio do crescimento.
Como o estresse gerado por exercícios físicos intensos ou grande esforço mental tende a aumentar a demanda por glutamina, consumir alimentos ricos em ácido glutâmico pode ser uma maneira de, indiretamente, elevar a produção de glutamina.

Alimentos Ricos em Ácido Glutâmico~


Caldo de galinha caseiro: Ao contrário da versão industrializada, o caldo de frango preparado em casa é altamente nutritivo e não contém conservantes. Além disso, o alimento é uma excelente fonte de ácido glutâmico: uma única xícara contém cerca de 2.150 mg do aminoácido
Proteína Isolada de Soja;leite,peixes,gelatinas,iogurtes,queijos,amêndoas torradas,frango,semente de girassol,ovos,feijão e carne vermelha. 


Fontes de Pesquisa:
Google Pesquisas
Mundo Boa Forma
Portal R7

quinta-feira, 9 de março de 2017

ÍNDICE GLICÊMICO









Os carboidratos que ingerimos entram na corrente sanguínea com velocidades diferentes, e  quanto mais rápido o seu ingresso maior será o nível de glicose no sangue. Consequentemente maior o nível de insulina liberado pelo pâncreas, já que nosso corpo tenta equilibrar os níveis de açúcar.
O índice glicêmico (IG)  é um indicador que diferencia os carboidratos de acordo com o nível de açúcar liberado no sangue quando este é ingerido, em relação a um alimento referência (glicose ou pão branco). Estudos sugerem que o índice glicêmico tem grande influência na regulação do peso corporal, mas ainda não foi possível chegar a uma conclusão real sobre o papel definitivo do IG nesse sentido. Pessoas com diabetes devem evitar alimentos com elevado índice glicêmico como: melancia, pão de queijo, suco de laranja, caqui e açaí, pois eles fazem a glicose atingir a corrente sanguínea mais rapidamente.  O índice glicêmico depende de alguns fatores como:
1.    O tipo de açúcar contido no alimento (glicose, frutose, etc.)
2.    A forma do carboidrato (grau de hidratação e tamanho da partícula)
3.    Os acompanhamentos dos carboidratos na refeição (lipídeos e proteínas) 
                         
                            
Alimentos que liberam muita glicose no sangue rapidamente quando são ingeridos são os que possuem um alto IG. Aqueles que são digeridos lentamente e liberam a glicose gradualmente são alimentos com baixo IG, estes devem ter preferencia na hora da dieta, já que nos mantém satisfeitos por mais tempo e ajudam na luta contra a obesidade.  O consumo exagerado de alimentos com alto índice glicêmico, em longo prazo, pode levar o individuo a uma pré-diabetes ou diabetes tipo 2, já que tais alimentos sobrecarregam o pâncreas com a alta quantidade de insulina liberada no sangue. Pode causar também doenças cardiovasculares.

Alguns autores mostram que o consumo de alimentos de baixo IG diminui a secreção de hormônios como o glucagon e o hormônio do crescimento, estimulando a síntese de proteínas,  e como consequência a diminuição significativa do teor de massa gorda junto com o aumento do teor de massa magra.
Estudos recentes mostram que glicose e insulina em excesso podem estar relacionadas com alguns tipos de câncer, pois como a insulina, o açúcar também estimula a produção do fator de crescimento de insulina IGF-1, que promove junto com a insulina o crescimento de células e aumento da taxa de morte celular.
São inúmeros os benefícios de uma dieta de baixo índice glicêmico, dentre eles a menor elevação pós-prandial da glicemia, a redução da síntese hepática do colesterol e a diminuição dos níveis de ácido úrico. Sendo então essa dieta com um nível moderado de índice glicêmico, a ideal para uma vida mais saudável.

                     



Fontes de Pesquisas:
Universidade de São Paulo- USP


domingo, 5 de março de 2017

Cuidado com Anafilaxia por Medicamentos e outras Substancia... Alergias.











Alguns  alimentos, medicamentos, picadas de insetos, e muitas outras substancias podem desencadear reações alérgica graves, como anafilaxia. 
Anafilaxia é a reação alérgica que tem alto  risco de vida,porque  envolve sistemas de todo o corpo. A anafilaxia é um perigo que exige urgencia no atendimento médico ela é uma reação que  requer tratamento médico imediato e cuidados de acompanhamento por um alergista/imunologista.
Mortes ocorreram por causa de atrasos no reconhecimento e resposta aos sintomas com tratamento imediato e outras intervenções médicas. 

Outras causas incluem: medicamentos (tais como a penicilina, a aspirina, e relaxantes musculares), exercício, temperaturas extremas, certos procedimentos médicos, e psicológicos, bem como outras causas desconhecidas. 

Sintomas

Há pessoas em que  os sintomas de anafilaxia podem aparecer num só sistema do corpo, tais como a pele ou os pulmões, enquanto que em outros aparecem em vários sistemas do corpo. Os sintomas variam as vezes  leve e outras vezes com  risco de vida, esse risco de vida pode acontecer depende da sensibilidade do indivíduo e da quantidade de exposição ao alérgeno. 

Os sintomas aparecem geralmente nos  primeiros 20 minutos de exposição ao alérgeno.
Mas atenção pois os sintomas podem desaparecer  e em seguida retornam depois de algumas  horas. Alimento é o que mais causa casos de anafilaxia em crianças. As crianças que tem  asma e alguma alergias alimentar são as que correm maior maior risco de anafilaxia e podem  reagir mais rapidamente, exigindo tratamento agressivo e rápido.
Sinais e sintomas de reações prejudiciais podem incluir um ou vários dos seguintes sintomas, e podem necessitar de tratamento de emergência imediato: 


PELE
• Urticária, erupções cutâneas, ou rubor;
• Comichão / formigamento / inchaço dos lábios, boca, língua, garganta;
• Congestão nasal ou comichão, corrimento nasal, espirros;
• Coceira, olhos inchados, lacrimejantes.

SISTEMA RESPIRATÓRIO
• Aperto no peito, falta de ar, pieira ou assobio;
• A rouquidão ou engasgo gastro-intestinal;
• Náuseas, vómitos, vômitos secos;
• Cólicas abdominais ou diarreia.

PROBLEMA CARDIOVASCULAR
• Tonturas, desmaios, perda de consciência;
• Pele corada ou pálida;
• A cianose (círculo azulado ao redor dos lábios e da boca).

MENTAL / PSICOLÓGICO 
• Mudanças no nível de consciência;
• A sensação de desgraça iminente, choro, ansiedade;
• Negação de sintomas ou gravidade.

Os sintomas mais sutis de uma reação grave podem incluir: 
• Gritos e choro;
• As crianças muito jovens vão colocar as mãos em sua boca ou puxar suas línguas.

Por vezes as pessoas afetadas por anafilaxia vão dizer:
• Este alimento é muito picante. Ele queima a boca ou lábios.
• Há algo preso na minha garganta.
• A minha língua e garganta parecem espessas. 
• Parece que algo está cutucando minha língua.
• Minha língua [ou boca] está formigando [ou queima].
• Minha língua [ou boca] coça.
• Parece que tenho cabelo na língua.
• Há um sapo na minha garganta.
• A minha língua sente-se completa (ou pesada).
• Sinto meus lábios apertados.
• Parece que há algo de errado nos meus ouvidos..
• Parece que tive uma colisão na parte de trás da minha língua (garganta).

ATENÇÃO

Anafilaxia Induzida pelo Exercício Deve-se dar uma especial atenção a esta que é uma das mais sérias respostas alérgicas ao exercício, embora seja evento raro. Manifesta-se por coceira generalizada, manchas vermelhas na pele, angioedema (inchaço na camada mais profunda da pele, especialmente nos lábios, mãos, pés, olhos ou região genital), sensação de calor generalizado, sintomas gastrointestinais, sensação de falta de ar e chiado devido a obstrução de vias aéreas, e alterações vasculares, podendo chegar ao choque anafilático. O quadro clínico surge entre dois e 30 minutos após a realização de exercícios vigorosos, permanecendo por até três horas. A incidência é maior em adultos jovens, embora já tenha sido diagnosticada em indivíduos com 60 anos de idade

Fontes de Pesquisas
Google Pesquisas
Blog Alergias Tipoanafilaxia

SII-Quem tem Síndrome do Intestino Irritável??

O que é?
É um conjunto de manifestações de sintomas gastro-intestinais . A estatística aponta que muitas pessoas são afetadas por essa síndrome é chega de 10% a 20% na Europa  ou nos Estados Unidos. A maioria de pacientes que buscam atendimento médico são mulheres, na idade jovem entre 20 e 30 anos.
Como aparece essa síndrome:
A causa da Síndrome do Intestino Irritável não é muito conhecida e, por isso não se sabe ainda porque pessoas passam a apresentar sintomas de repente  
Refeições volumosas
Grande quantidade de gases no intestino grosso
Medicamentos
Trigo, centeio, cevada, aveia, cereais, chocolate, leite e derivados, álcool
Bebidas que contém cafeína: café, chá e colas Stress, ansiedade, labilidade emocional
Pesquisas revelam que mulheres com a SII apresentam exacerbação dos sintomas no período menstrual, sugerindo relação com os hormônios femininos.
As pessoas acometidas pela Síndrome do Intestino Irritável, sentem mais desconforto como dores do que os que não tem esse problema.
Depressão, ansiedade e distúrbios psicológicos afetam os  pacientes com essa  Síndrome com mais frequência.

O Sintomas
  • Dor e distensão abdominal associados a um aumento da freqüência diária de evacuações e amolecimento das fezes.
  • Períodos sintomáticos podem se alternar com períodos assintomáticos de até vários anos, mas que, por fim, tendem a recorrer.
  • Cólica, intermitente e mais localizada na porção inferior do abdômen. Na maioria das vezes  alivia com a evacuação e pode piorar em momentos de estresse ou nas primeiras horas após as refeições.
  • As fezes, na maioria dos pacientes, são diarreicas (amolecidas ou aquosas) podendo conter muco. Outros pacientes queixam-se de constipação (evacuam menos do que seu habitual ou menos de uma vez por semana).
  • Outros sintomas
  • Distensão abdominal
  • Sensação de estufamento
  • Sensação de esvaziamento 
  • Gases em excesso 
O diagnóstico é feito com base nos sintomas apresentados pelo paciente. Para que se possa firmar o diagnóstico não deve haver alterações ao exame clínico ou em exames laboratoriais.
O médico deve solicitar exames gerais de sangue e de fezes capazes de detectar as parasitoses mais freqüentes.
Esses exames não têm a intenção de confirmar o diagnóstico de Síndrome do Intestino Irritável, e sim, de afastar outras causas de sintomas semelhantes, já que não há exames capazes de comprovar o diagnóstico 



Tratamento
 É preciso um esclarecimento do médico para o paciente sobre sua doença.A doença é de evolução benigna e que não acarreta ou progride para nenhuma outra circunstância mais grave é um passo muito importante, capaz de, por si só, tranquilizar e fazer com os sintomas sejam melhor tolerados.
O fato de fatores psicológicos poderem estar associados e mesmo desencadearem períodos mais sintomáticos e de não serem encontradas alterações capazes de explicar o quadro não devem fazer pensar que esses são imaginários. Eles existem, porém sua causa e mecanismo ainda não podem ser explicados pelo conhecimento científico de hoje.
Uma dieta rica em fibras costuma ser útil em pacientes com queixa de constipação, e o melhor trânsito intestinal pode ajudar pacientes cuja queixa é flatulência excessiva.
Um diário alimentar correlacionando sintomas com os alimentos ingeridos previamente pode ser capaz de detectar alimentos desencadeantes.
Alguns vegetais como feijão, repolho, couve-flor, cebola crua, uva e ameixa são causadores de dor ou distensão em certos pacientes. Vinho, cerveja e alimentos ou bebidas com cafeína (café, chá, etc) também podem ser mal tolerados.
A grande maioria dos pacientes melhora com a compreensão de sua doença e com alterações alimentares. 

Medicamentos são importantes para o alívio dos sintomas. Suplementos de fibras, às vezes laxantes, remédios para diarreia, calmantes, antiespasmódicos (para combater os espasmos do intestino) servem par melhorar muitos dos sintomas abdominais. Muitas vezes antidepressivos apresentam grande efeito calmante e analgésico, com boa resposta ao tratamento.
Prevenção:
 Não se sabem formas de prevenção.
A busca de atendimento médico para esclarecimento do quadro e manejo de sintomas específicos, evita que a doença cause maiores conseqüências na vida dos pacientes.

A Síndrome do Intestino Irritável deve ser lembrada como uma doença:
  • Cronica
  • Não há tratamento específico
  • Benigna
  • Não evolui para doenças mais graves.
Como a alimentação interfere nos sintomas da SII? 
Para muitas pessoas com SII a atenção na escolha dos alimentos é fundamental. É importante anotar e avaliar diariamente quais são os alimentos que causam mais sintomas. Além das orientações sugeridas pelos médicos, uma orientação alimentar específica e personalizada ajuda muito no controle dos sintomas.(consulte uma nutricionista ela vai te orientar)

Fontes de Pesquisas
Google Pesquisas
Site ABC da saúde
Federação Brasileira de Gastroenterologia. 


sexta-feira, 3 de março de 2017

Nutrição divertida...Pratos Decorados Para Crianças

Pratos coloridos e divertidos podem ser uma alternativa para os pais na hora de servir as refeições para as crianças. Principalmente para aquelas que relutam em comer verduras e frutas, alimentos ricos em vitaminas e minerais. De acordo com a nutricionista Andreia Ivachuka, do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba, o hábito alimentar das crianças é formado até os dois anos de idade. “É a fase mais importante. É nesse período que você molda o paladar”, explica a profissional. Por isso, os pais devem oferecer uma alimentação variada aos filhos.

OLHA QUE IDEIAS LEGAIS!!!



Carne,alface,arroz,cenoura,tomates,ervilhas.


Carne,cenouras,massa,;brócolis,couve-flor

Sanduiches com alimentos variados

                                                       Ovos cozidos e alface
Alface,tomate,azeitonas,pão integral e no
caso é bacon substituiria por queijo fica mais saudável.

                                                                                                                                                                                                  
Fontes de Pesquisas:

Google Pesquisas
Portal de Noticias G1
Pinterest

Febre Amarela Saiba mais Sobre o Assunto.


A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por vetores artrópodes, que possui dois ciclos epidemiológicos distintos de transmissão: silvestre e urbano. Reveste-se da maior importância epidemiológica por sua gravidade clínica e elevado potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas por Aedes aegypti.