Como Fazer Para Diminuir o sal - O amado sal.








  Os caldos de carne, de frango, bacon prontos,parece que dá um sabor especial ao alimento mas na verdade ele vicia o paladar ,e esses temperos deixam tudo com o mesmo sabor e fazem muito mal,neles tem uma quantidade exagerada de sódio que é péssimo para a saúde, e tem também  tem o glutamato monossódico, uma substância que após muitos estudos ficou comprovado que favorece o aparecimento  de câncer, mal de Parkinson e algumas  doenças relacionadas ao sistema nervoso.

  
Os Caldos podem ser substituídos por caldo feitos com ingredientes naturais,feitos por você , congelados e guardados em saquinhos bem fechados no congelador,na hora de preparar um prato utilize e com certeza o sabor será muito melhor ,e  Você pode fazer de frango ,carnes,vegetais,bacon,feijão é só usar a imaginação...
  
O Consumo de sódio...
Adultos saudáveis devem consumir cerca de 2.4 mg de sódio por dia
Especialistas aconselham que determinados grupos de riscos, como pessoas com pressão arterial alta, diabetes ou doenças renais, devam consumir não mais do que 1.500 mg de sódio por dia. Afro-americanos e pessoas de meia idade também devem limitar o consumo, mas os adultos saudáveis podem consumir com segurança cerca de 2,4g por dia. Embora a ingestão diária recomendada para uma pessoa saudável seja de 2,4g (o equivalente a uma colher de chá de sal ), verifica-se que o brasileiro consome entre 4 - 6g por dia. Desse total, cerca de 75% é adicionado durante o preparo do alimento, com o objetivo de preservá-lo ou para lhe dar sabor. O restante está presente naturalmente no alimento.


Substitua o Sal

Os médicos dão a dica para  que as pessoas percam o hábito de ter o saleiro sempre à mesa e comecem a substituir o sal por temperos naturais, como cebola, alho, salsinha, cebolinha, orégano, hortelã, limão, manjericão, coentro e cominho, entre outros.
Sal não é tempero.

É bom evitar também carnes muito salgadas, como bacalhau, charque, carne-seca e defumados. Outra recomendação é sempre experimentar a comida antes de pôr sal, para ver se está adequada ao seu gosto. Além disso, aos poucos, o paladar se acostuma com menos sal na alimentação.

Deixar de colocar aquela pitadinha de sal a mais na comida pode ser melhor para o organismo do que se pensava anteriormente; os estudos mostram que pessoas hipertensas poderiam até parar de tomar remédios se diminuíssem a presença do tempero em suas dietas. Isto porque o sódio presente no sal influencia o sistema circulatório e afeta a habilidade dos rins de excretarem resíduos e líquidos.





Quando o nível de sódio do organismo é baixo, os rins aproveitam as substâncias químicas da urina, devolvendo-as para a circulação. Alguns indivíduos, entretanto, possuem uma tendência genética a reter mais sódio que necessário. Dessa forma, o organismo também precisa de mais líquido para equilibrar a concentração de sódio no sangue. Portanto, os rins retiram menos líquidos do organismo e, consequentemente, há uma diminuição na excreção de urina. Dessa forma, o coração é forçado a bombear com mais força para manter um volume maior de líquido em circulação, aumentando, assim, a pressão arterial.

Embora o sódio seja o mineral mais diretamente relacionado com a hipertensão, sabe-se hoje que outros minerais podem também interferir nos níveis de pressão. Há fortes indícios de que os níveis de potássio também sejam muito importantes. De acordo com estudos, o potássio protege contra o aumento da pressão e o acidente vascular cerebral. O que determina o nível de pressão não seria, portanto, a quantidade de sódio isoladamente, mas a relação potássio / sódio, que deveria ser de 1 para 1,5; em geral essa relação é de 0,3 para 1. Alimentos ricos em potássio são o brócolis, os legumes, o abacate, a banana, batata, entre outros.

Alguns alimentos e quantidades de sódio

Azeitona verde (cerca de 30 g) 925 mg
Picles (cerca de 30 g) 440 mg
Biscoito salgado (cerca 30 g) 475 mg
Bacon (03 fatias grelhado) 300 mg
Batata frita (cerca de 30g) 135 mg
Salame (cerca de 50 g) 575 mg






Fontes de pesquisa
Culinária da Hora-G1-Uol-OMS

Comentários